[BGS 2016] 1º dia Brasil Game Show 2016 – Sony e EA

Este ano foi um ano de novas experiências, e uma delas foi o meu primeiro evento como jornalista/imprensa e o primeiro do Feijuca. Este evento é a Brasil Game Show 2016.
Cheguei ao Expo Imigrantes por volta das 13:00, pouco depois da abertura dos portões para a imprensa e para as pessoas que adquiriram o ingresso premium. A primeira impressão foi de espanto, Que lugar enorme! Eu ja estive no Expo Imigrantes nos dois anos anteriores para a Comic Con Experience, mas de um ano para cá o centro de convenções passou por um processo de reformas e expansão, e está gigante! A entrada possui um pátio enorme, que segue por toda a extensão frontal do prédio. Internamente o centro está bem maior, ajudando na distribuição de estandes por todo o pavilhão. As ruas são bem abertas, e o espaço entre um estande e outro é considerável, o que ajuda na locomoção das pessoas por toda a feira.

Logo depois de passar pelo portão de entrada me deparo com uma grande parede do Batman Arkham VR, jogo o qual estava maluco para experimentar. Corri para poder entrar na fila mas logo fui avisado que a entrada era somente para convidados ou aqueles que ganhassem um “vale” durante as atrações no palco da EA. Fiquei bem decepcionado com isso. Acredito que não era necessário limitar tanto assim a entrada para o jogo. Lógico que esta é uma medida compreensível, já que com o número de pessoas presentes na feira, seria impossível que todos jogassem. Mas acredito que uma simples distribuição de senhas, de quantidades limitadas, seria o suficiente para que mais pessoas tivessem acesso ao jogo.

Decidi então passear pela feira, para conhecer um pouco das expositoras, e parei no estande da Sony. Durante todo o dia eu joguei diversos jogos em quase todos os estandes, por isso acredito que, para facilitar a leitura e não estender tanto o post, seja melhor a divisão de posts entre as  grandes expositoras. Este Post será responsável pela Sony e pela Electronic Arts. Outro sobre a Microsoft e Ubisoft virá logo em seguida.

Sony

IMG_20160901_155028302

O primeiro jogo que joguei na BGS 2016 foi Horizon Zero Dawn. Vi a fila, que estava consideravelmente vazia no inicio do evento, e entrei. Após alguns minutos de espera, devido ao atraso da distribuidora de brindes da Sony, podemos colocar as mãos no jogo.

Não vou entrar em detalhes muito pronfundos sobre os jogos, pois estes são títulos já anunciados e jogados na E3 deste ano, ou até mesmo dos anos anteriores, por isso apenas vou ressaltar algumas das minhas opiniões sobre as demonstrações em que tive a oportunidade de jogar.

A demo disponível de Horizon Zero Dawn é a mesma da exibida durante as primeiras apresentações do jogo. Somos colocados em um ambiente vasto, com alguns animais robóticos passeando livremente. Esta é uma demonstração focada basicamente na caça destes animais. A jogabilidade é muito fluída. A troca entre armas, o combate e a furtividade são muito fáceis de se executar. Este pequeno pedaço do jogo da a impressão de que o resultado final será um mapa bem grande, em que poderemos explorar livremente. O gráfico é lindo, mas acredito que hoje em dia é meio difícil de falar sobre gráficos, já que a maioria dos novos títulos possuem imagens lindas. Mas este foi o que mais se sobressaiu no estande da Sony.

IMG_20160901_132651651

Após sair da demonstração de Horizon Zero Dawn fui para a de PES 2017, que estava praticamente vazia. O jogo está muito divertido, o controle de bola melhorou bastante. O único problema que encontrei foi na parte de defesa. Existe um delay considerável do momento em que você aperta o botão de Tackle, ou o de carrinho, até o momento da ação do jogador. Isso chega a incomodar, mas não atrapalha tanto na partida. Os goleiros também melhoraram e os jogadores aparentam estar mais ágeis, mas ainda continuo achando a velocidade de jogo do FIFA maior.

A Sony não trouxe tantos títulos para a BGS deste ano. Dos jogos que ainda não lançaram, Horizon Zero Dawn, PES 2017 e Final Fantasy XV são os principais títulos presentes no estande. Existem ainda alguns jogos VR disponíveis, porém eles precisam de senhas, que são distribuídas ao marcar um horário. De acordo com um dos expositores, estas senhas tendem a ser entregues apenas no início do dia, já que esgotam muito rapidamente. Há também um auditório, com programações durante todo o dia, com entradas também a partir de senhas. Neste auditório títulos como The Last Guadian e Detroit marcam presença. Mas ainda não sei se é possível jogá-los ou se apenas é exibido um Gameplay ao público. Haverá também a possibilidade de jogar uma demonstração de Call of Duty Infinite Warfare, mas este apenas estará disponível a partir da sexta-feira (02), dia em que a feira é aberta ao público.

IMG_20160901_155009506

Lógico que a Sony não iria deixar de fora os seus títulos recém lançados como No Man’s Sky e Unchaterd 4, que também estão disponíveis para uma jogatina rápida, mas foi com um jogo indie, o 99 vidas (Sim! o Jogo do Podcast), em que eu passei uns bons 20 minutos jogando, até a hora em que tive de livrar o lugar para um próximo jogador. O jogo é simples, mas muito divertido.

Electronic Arts

IMG_20160901_173122122

O estande da EA não muda muito em relação às edições anteriores da Brasil Game Show. Ainda com o tradicional palco, a Electronic Arts traz diversas celebridades da internet brasileira para realizar algumas brincadeiras com o público. Brincadeiras essas que podem dar direito à jogatina de Batman Arkham VR, como dito anteriormente no post.

Além do palco, o único título novo presente no estande é o FIFA 17, que tive a oportunidade de jogar. Sou um jogador recorrente de FIFA, então estava bem curioso para ver as novidades do novo ano. De cara vemos que o visual está mais bonito, agora com a Frostbite, engine usada na franquia Battlefield. Algumas novidades no gameplay também são notadas, como a proteção da bola com o corpo ou a possibilidade de movimentar o seu jogador nos momentos de bola parada. Agora é possível andar alguns passos na cobrança de lateral e escolher o posicionamento do seu jogador em relação a bola na hora de cobrar uma falta. Outra coisa que mudou foi a cobrança de escanteio, que na minha opinião não funciona muito bem quando o jogo está em modo multiplayer. Agora comandamos um alvo, que mostra a direção que a bola irá tomar. Isso torna a jogada muito previsível ao adversário, facilitando na organização e execução da marcação. De toda forma o jogo continua divertido, mas aparentemente o PES também tem tomado força. Será que veremos uma inversão nos jogos mais jogados de futebol no futuro?

IMG_20160901_173042497_HDR

Tirando o FIFA, não há nenhum outro titulo novo no estande da EA deste ano. Battlefield 1 não está presente. Juntamente ao estande da EA, está a área da Capcom e da Warner, onde além de Street Fighter V, Mortal Kombat X e Batman Arkham VR está o novo Resident Evil.

Resident Evil VII: Biohazard foi eleito um dos melhores jogos da BGS deste ano. O jogo esta em portas fechadas, fazendo com que não possamos ver a jogatina que acontece ali. As filas para jogá-lo permanecem grandes durante todo o dia. Não pude jogá-lo neste primeiro dia, então não posso comentar, mas pretendo joga-lo nos próximos dias, e aí sim terei uma opinião sobre.

Este foi um pouco do que vi no primeiro dia da Brasil Game Show 2016. Mais posts com outros jogos e com opiniões da feira em geral virão em breve. 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s